24/09/2012

Novos Logotipos: ebay e Microsoft

Na minha opinião, o novo logotipo do ebay mantém alguma identidade do antigo mas parece que foi feito à pressa no Corel Draw em 2002 por um estagiário:



Fonte: http://stocklogos.com/topic/new-ebay-logo

O da Microsoft... usa o mesmo esquema de cores. Literalmente quadrado. Não desgosto: invoca as áreas de actuação da empresa e a geometria transmite segurança e estabilidade.

Fonte: http://stocklogos.com/topic/microsoft-unveils-fresh-new-logo-and-identity

A propósito disto, e para provar que eu estava atento... notam alguma coisa?


E mais outro:



Continuação sobre o logotipo novo da Microsoft aqui.

21/09/2012

Como Traduzir Facilmente um Site

Google Web Site Translator


O Google Web Site Translator é uma ferramenta pouco divulgada, provavelmente porque traduções automáticas sem o factor humano à mistura não apanham as variações linguísticas. Os resultados podem ser... hilariantes!

É possível no entanto usar o tradutor normal do Google como ponto de partida e afinar o resultado num documento à parte, corrigindo sentidos duplos e expressões idiomáticas, depois aplicar no site.

Recentemente o Google Web Site Translater começou a permitir a correcção das traduções. Significa isto que podemos melhorar e muito as traduções automáticas através de sugestões, que podem ser nossas ou de visitantes.

Para um teste, a própria página do blog Google Web Site Translater pode ser traduzida.

Outro exemplo prático implementado por um colega Web Designer pode ser encontrado aqui no site dos alarmes para automóvel e motas GT.

Mais de 60 idiomas à disposição com um menu pull-down, gratuito, colaborativo, e fácil de implementar. Já não há desculpa para ter um site só num idioma!

17/09/2012

Eficácia dos Anúncios no Facebook

Esta é uma questão sobre a qual tenho sido abordado. Até que ponto compensa investir em anunciar no Facebook? Não tendo aqui o objectivo de fazer propriamente um estudo aprofundado sobre o assunto, gostaria de dar uma ideia geral.

Há Retorno?


Depende do que investirmos e do que potenciarmos esse investimento. Por mais pequeno que seja! O orçamento mensal que tenho para divulgar 3 páginas importantes no meu trabalho é simbólico e quase irrisório, no entanto consigo ter uma média de 1200 pessoas a gostar das 3 páginas, a crescer cerca de 10% por mês desde os últimos 6 meses aproximadamente.

Poderão achar pouco, mas estamos a falar de páginas de lojas de produtos de luxo muito exclusivos e de uma loja praticamente B2B onde a vertente de B2C é de nicho. As publicações têm taxas de visualização na ordem das 2 ou 3 centenas, e taxas de viralidade - para se perceber melhor eu chamo-lhe "os que ligam", ou seja interagem ou comentam - interessantes, na ordem dos 2%. Se eu considerar que uma ínfima percentagem destas pessoas nos recomenda ou , melhor ainda, aparece e nos compra um equipamento de gama média ou nos encomenda uma obra pequena, tenho um retorno bastante bom!


Uma das três páginas do FB que reparte um orçamento pequeno, consegue ter estatísticas bastante agradáveis.

Resumindo: mais do que estar a apostar grandes somas de dinheiro, é necessário antes afinar aquilo que estamos a fazer com os meios de que dispomos. E claro, testar muito.

Portanto, na minha opinião, se for bem feito, com cuidado em ternos de conteúdo dos anúncios, e não tendo piedade para com os anúncios com maus dados estatísticos, compensa. Estamos a falar de pessoas que oficialmente passam a gostar da nossa marca. Por mim, considero um honra e um valor muito acrescido que alguém se dê sequer ao trabalho de seguir o que a minha marca tem para dizer, ainda mais numa rede social.

De notar ainda: as ferramentas estatísticas de que dispomos para aferir publicações e visualizações neste suporte, tornam ainda mais fácil aferir se estamos simplesmente a fazer asneiras e a gastar o nosso saldo rapidamente ou se estamos realmente a obter algum retorno positivo de quem nos honra ao fazer Gosto na nossa página empresarial.

Alguns Links Interessantes:




12/09/2012

Só um Link: Cartões com Relevo

Cartões com Relevo

 

Sim, são mais caros a nível de artes-gráficas do que é habitual. O facto de ser necessário um molde próprio para o relevo faz com que o sejam. Mas estes cartões de visita, além de bonitos, fazem com que esse custo se amortize, dado que vão durar mais na carteira do cliente do que um cartão normal. Ora vejam lá:

60 Beautifull & Creative Embossed Business Cards.


11/09/2012

Ligado no LinkedIn

Alguns já terão perfil no LinkedIn. Resumidamente, trata-se de uma rede social muito mais virada para a vida profissional das pessoas. Lá não veremos jogos ou memes filosóficos. Lá veremos um autêntico Curriculum Vitae facilmente actualizável e que pode ser bilingue. É aliás o meu perfil do LinkedIn - exportado para PDF - que uso como CV.

Distinga-se da multidão!
Já são razões suficientes para termos um perfil lá. A questão é: por onde começar?
  1. Comece simplesmente pelo CV já existente, porque se já está organizado, não será difícil preencher os campos disponíveis no LinkedIn.
  2. Não esqueça os pormenores todos. Um perfil completo é um perfil com mais hipóteses de ter algo que interesse ao possível empregador ou cliente - caso faça trabalhos freelance.
  3. O LinkedIn permite ainda  colocar projectos onde tenha trabalhado, pelo que se tiver alguns interessantes deverá coloca-los. É muito mais interessante colocar uma breve descrição de um projecto com um objectivo cumprido do que simplesmente ter nas skills que consegue fazer algo.
  4. Coloque uma foto profissional. Esqueça as fotos a olhar no vazio ou as velhinhas fotos "tipo passe". Peça a um colega para lhe tirar uma foto no seu ambiente de trabalho. Assim mostra-se profissional e impressiona com a verdade.
  5. O LinkedIn permite ligações profissionais. Portanto não comece a juntar tudo e todos os que lhe aparecem. Pedidos de coleccionadores de contactos eu simplesmente rejeito. Um perfil com mais do que um número razoável de pessoas torna-se simplesmente ridículo: é impossível conhecer mais de 300 ou 500 pessoas... a não ser em casos muito particulares. E atenção que com cada novo contacto aparece um campo para escolher de onde conhece essa pessoa.
  6. Pode pedir recomendações aos seus colegas ou ex-colegas e aprova-las mais tarde. Pode e deve também recomendar quem acha que o mereça.
  7. Junte-se a grupos relacionados com a sua área. Há sempre muito para aprender de quem sabe mais ou algo para ensinar a quem sabe menos. Participe.

Isto é apenas o que o senso comum permite fazer. Para saber mais - muito mais - sobre as possibilidades do assunto, espreitem o que um profissional do LinkedIn como o Rui Pedro Caramez tem a dizer. Dica: ele fará uma avaliação gratuita do seu perfil, mas por favor não o faça perder tempo mostrando-lhe um perfil quase vazio. Primeiro, faça o máximo que conseguir.

Finalmente, aqui está o meu perfil do LinkedIn. Como com tudo, aceito sugestões.

Links


Dá ao LinkedIn a Importância Que Ele Merece?

As regras para tirar o máximo de proveito do LinkedIn


10/09/2012

Só um Link

Seth Godin é uma referência em marketing. O seu blog envia uma newsletter com frases simples e observações curiosas que nos fazem pensar.

Só um link para o blog do Seth Godin.

E uns parágrafos de que gostei:

One reason to do something is because you get paid to do it.

But it's sad to think that this might be the only reason to do something.

Now that you've got a skillset and trust and leverage and a following and the tools to make something happen, are you going to invest your heart and soul into something that's important or waste it selling something you're not proud of?

Tradução:

Uma das razões para fazeres algo é porque és pago para o fazer.

Mas é triste pensar que isto é a única razão para fazer algo.

Agora que tens a capacidade a confiança um começo e um seguimento e as ferramentas para fazer algo acontecer, irás investir o teu coração e alma em algo realmente importante ou vais desperdiçar tudo ao vender algo de que não te orgulhas?


07/09/2012

Organização de Tarefas

Software


Uma situação que me acontece com frequência é começaram a chover pedidos relacionados com uma tarefa após a atribuição da mesma. Isto acontece porque as pessoas vão-se lembrando de um outro pormenor que querem ver efectuado ou porque a tarefa principal, para quem a efectivamente faz, como eu, se compõe de várias fases ou sub-tarefas para atingir o objectivo pretendido. Uma tarefa como, por exemplo, "organizar a nossa participação numa feira" envolve dezenas de pequenas sub-tarefas como é óbvio.

Para essas situações usa muitas vezes um software gratuito chamado Project Engine. Certamente haverá outros melhores, a pagar ou não, mas como sinceramente não tenho grande paciência para andar a fazer testes, para já vou usando este.





Como se pode ver, a ideia é ter uma estrutura tipo árvore na qual a raíz é a tarefa principal. E acreditem que podem existir muitos ramos...

As possibilidades ultrapassam aquilo que eu desejo sequer usar. É possível definir prioridades, prazos, atribuir tarefas a alguém com o mesmo software, e muito mais.



É portanto uma ferramenta que embora nem sempre se utiliza para as tarefas agendadas do dia-a-dia, se torna muito útil em coisas mais complicadas.


06/09/2012

A Raquel vai ao Continente

A Raquel vai ao Continente. E transporta as crianças. E faz tudo e mais alguma coisa. A mulher da casa desenrasca-se e faz tudo e mais alguma coisa sob o olhar quase complacente do marido. Dá a ideia de que o marido sustenta a casa, da casa trata a mulher. Jurássico.

E eu pergunto: isto reflecte-nos? Se sim, é triste.

Caso contrário, o Continente falhou. Duvido que o tenha feito.

Mais aqui: http://consumerbehaviorportugal.com/?goback=.gde_948617_member_158630444

E a Raquel:




Aproveite e pague o dobro

Desinstalei um programa de software - bom por acaso - e dei com isto. Depois de achar piada ao erro comuniquei ao e-mail no Contact Us, depois deste clique.




A resposta ao e-mail com esta imagem foi esta:

Dear Pedro,

Please contact TuneUp concerning your question, as we unfortunately cannot assist you with questions of this nature.


On the following website you will find assistance and also a contact form, should you still have questions.


NOTE: Questions sent through the links "Questions about downloading" or "Questions about the ordering process" will be directed back to cleverbridge. Please select from the other options to reach TuneUp.

[...]

Ben M.
[...]

 ---- 

Pelo que percebi a empresa que vende o software não é a mesma que o faz e que fez este divertido erro.

O caro Ben M. esquece que eu sou um consumidor. Que eu como consumidor, relatei o erro que vi como um favor, ao avisar o primeiro contacto que vi. O caro Ben esquece que a sua obrigação era, simplesmente, reenviar o e-mail para qualquer contacto na empresa cliente, para relatar o erro.

E quer que eu preencha um formulário? Bem, deixemos o erro correr. Ao menos outros clientes podem-se rir dele.