31/03/2016

Site novo. E agora?

Tenho um novo site pronto. E agora?

Implementar um site completamente novo ou um site remodelado, passa por mais do que apenas mudar o servidor, ou fazer upload do novo site. Sem querer entrar em pormenores técnicos, que até fazem mais parte do departamento de IT, aqui partilho uma pequena lista para ter em conta.

Teste com outras pessoas: Ao trabalhar muito tempo no mesmo projecto o nosso cérebro toma algumas coisas como adquiridas e podemos desleixar erros que estão ali mas que já descartamos automaticamente. Mostre o site a outras pessoas e vai ver que há sempre alguém que repara numa gralha, num ícone em falta. Pessoalmente admito que tenho tendência para achar defeitos nos sites dos outros, e os web developers com que trabalho gostam disso.

Teste formulários: tem mesmo a certeza que todos os contactos do site, principalmente formulários, estão a funcionar devidamente? Teste uma última vez para se chega tudo direito.

Verificar a velocidade e o SEO: sim, já sei que esteve centenas de horas a olhar para aquelas páginas. Se fez as coisas direitas, tem o SEO bem preparado, com as tagas correctas e com o devido tamanho, textos em condições com bom conteúdo e sem erros.

Não obstante, com ferramentas on-line que detectam aquilo que está mesmo debaixo dos nossos olhos rapidamente, é possível fazer melhorias de última hora. Há várias, a maior parte delas a atrair a serviços melhores e pagos. Eu uso o Web Site Grader. Aviso já que é complicado atingir os 100% sem conhecimentos técnicos avançados mas é possível optimizar os resultados da análise com alguma facilidade e - claro! -. trabalho.

Não é mau, mas pode ficar melhor.


Preparar Cache do CMS: eu trabalho apenas com o Concrete 5, mas creio que os outros CMS mais vulgarizados, como o Wordpress, também o permitem. Ao trabalhar e editar o site, conteúdos, CSS, etc, devemos estar com a cache desligada, de forma a obrigar o browser a "puxar" as coisas do servidor a cada alteração. Para publicação, ligar a cache do CMS de forma a melhorar a velocidade do lado do utilizador.

Vamos ligar isto tudo!


Inserir código do Google Analytics: o site novo vai assim manter as estatisticas do site antigo, permitindo assim um termo de comparação. Deve ser a última coisa a ser feita, só quando entrar mesmo on line, de forma a não falsear resultados. Isto também comprova perante o Analytics que somos proprietários também do site novo. Um Dica Útil: O Chrome possui uma extensão para verificar a existência das tags do Google. É o Google Tag Assistant e confirma se essas tags, nomeadamente a do Analytics, estão correctamente implementadas. Se usa tags de remarketing ou relacionadas com o Google AdWords, mais útil vai ser.

Chame o Google Bot: já tem o site no servidor? Chame o Google para rever o site. É de contar que já tenha um site map pronto para ele indexar tudo direito. Pode chamar o Google Bot entrando no Google Webmaster, veja aqui como fazê-lo.

E agora, força!


Sem comentários:

Enviar um comentário